FEIRA TECNOLÓGICA

FEIRA TECNOLÓGICA
NORTE AGROSHOW em Mato Grosso ganha portal informativo
Navegação funcional facilita acesso a informações

 

De navegação funcional e formatado para atender as necessidades tanto de investidores quanto leitores que desejam obter informações sobre a NORTE AGROSHOW, evento de difusão tecnológica, conhecimento e inovações ao campo, programado para os dias 06 a 08 de junho, no município de Sinop, a 503 quilômetros de Cuiabá, o novo portal informativo da feira tecnológica já está no ar.

Construído para possibilitar uma leitura intuitiva, o que facilita o aceso pelo usuário, a mais nova ferramenta de comunicação nasce com o propósito de ser um elo de ligação entre a NORTE AGROSHOW, a Associação dos Criadores do Norte de Mato Grosso (ACRINORTE), o Sindicato Rural de Sinop e o público em geral, conectando-os por meio da rede mundial de computadores.

Desde planta do evento, a lista de expositores, mapa de localização até conteúdo específico para expositores, o banco de informações em fase de atualização objetiva informar da melhor maneira possível o consumidor da NORTE AGROSHOW.

Com um layout dinâmico, o portal informativo apresenta cores que estão em consonância com o cotidiano e o dia a dia do homem do campo e que o situam ao ambiente: elementos como a terra, as lavouras agrícolas e a pecuária são representadas por uma paleta de cores em cujo interior estão, por exemplo, o marrom, o amarelo, o verde e o branco. Já o céu, grande aliado do homem do campo na hora de ditar as condições ideais para cultivo, desenvolvimento e colheita da produção agrícola, bem como o manejo na pecuária, é retratado pela predominância do azul.

Todo o design foi pensado e concebido de forma a ressaltar o sentido da missão dos produtores, aqueles que trocam o piso pela terra, a sombra pelo sol e o teto pela lua, e, assim, garantem a geração de renda e a produção de alimentos ao Brasil.

Para conhecer o portal informativo da NORTE AGROSHOW basta acessar o www.norteagroshow.com.br.

Lançada oficialmente a colheita da safra de soja que pode superar a expectativa da Conab

Lançada oficialmente a colheita da safra de soja que pode superar a expectativa da Conab

Na região Sul de MS o veranico ocorrido em novembro poderá baixar as produtividades

Na quinta posição do ranking de produção de soja e 3ª na exportação, Mato Grosso do Sul foi o palco do lançamento nacional da colheita do grão nesta quinta-feira (26). Com a presença do ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eumar Novacki, o evento em Ponta Porã  lotou de agricultores de todas regiões brasileiras, que estão otimistas com os números da produção, que devem superar as 103 milhões de toneladas, estimadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O conselheiro da Associação dos Produtores de Soja de MS e produtor rural, Almir Dalpasquale, espera que neste ciclo a safra nacional ultrapasse a produtividade 50 sacas por hectare, podendo algumas regiões atingirem até 60 sacas de média. “Vamos com certeza ultrapassar o volume esperado pela Conab. Parte desses números serão elevados pela região de MATOPIBA, onde são encontradas lavouras de alta qualidade e rendimento”, afirma Dalpasquale.

Para o presidente do Movimento Nacional dos Produtores (MNP), Rafael Nunes Gratão, a vantagem de uma produtividade mais alta será refletida na pecuária. “Estamos entrando no quarto mês seguido de queda na arroba do boi, desenhando um cenário de baixa capitalização do pecuarista devo a baixa no consumo de carnes. O volume de grãos, maior que o esperado, contribui com a queda dos custos no processo de engorda”, defende Gratão, também diretor do Sindicato Rural de Campo Grande.

Segundo o Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB) a média brasileira na produtividade da soja, estagnado há mais de 10 anos, na casa das 50 sacas por hectare, precisa ser alterada em nível de urgência. “Entre os inscritos no Desafio de Produtividade do Comitê, com produtividade abaixo de abaixo de 60 sacas, verificamos que a problemática está no solo. Compactação, excesso de alumínio e falta de cálcio são os principais causadores das baixas produtividades”, pontua o diretor do CESB,  José Erasmo Soares.

O agrônomo de Ponta Porã, Antônio Cavicchioli, viabilizou na safra passada, na Fazenda Jaguarundy, 127 sacas por hectare, maior registro de produtividade já registrado em MS pelo CESB, média que não deve se repetir no ciclo 2016/17, devido às chuvas espaçadas e desuniforme. “Em novembro enfrentamos 30 dias sem chuvas em Ponta Porã, um veranico que não esperávamos. Esse fenômeno cortou nossa expectativa de produtividade pela metade”, lamenta.

Segundo o diretor do CESB a solução para elevar a produtividade da safra, não está vinculada ao aumento dos custos, mas no melhor filtro de informação. “Uma simples adubação e correções com calcário, já elevariam nossas produtividades em 10 sacas por hectare, pelo menos”, estima o diretor.

Fotos e Texto: Diego Silva – Agro Agência Assessoria – Telefone 67 98124 1363

 

Começam vendas de espaços para expositores da NORTE AGROSHOW em Mato Grosso

NEGÓCIOS
Começam vendas de espaços para expositores da NORTE AGROSHOW em Mato Grosso
Feira ocorrerá em cidade polo de região na qual vivem mais de 1 milhão de pessoas

A Associação dos Criadores do Norte de Mato Grosso (ACRINORTE) deu início à venda dos espaços para expositores das áreas agrícola, pecuária, financeira, entre outras, que vão compor a primeira edição da NORTE AGROSHOW, entre os dias 06 a 08 de junho, no Parque de Exposições da Acrinorte, em Sinop, município a 503 km de Cuiabá.

A feira de negócios será realizada em um complexo de 198 mil metros quadrados, apresentando ao público uma série de inovações em diferentes elos da cadeia produtiva. Toda estrutura será dividida por setores, facilitando o acesso pelo público e a concentração dos expositores de acordo com o ramo de atividade.

Conforme explica Renata Borges, coordenadora da NORTE AGROSHOW, a feira contará com espaço para 180 expositores, 8 pavilhões para 650 animais, espaço climatizado para leilões, com capacidade para 800 pessoas, espaço para o Simpósio de Agronegócio, com capacidade para 1,2 mil pessoas sentadas, restaurantes e lanchonetes.

Como prevê o mapa da feira, haverá áreas exclusivas para veículos, para a pecuária, máquinas e implementos agrícolas, instituições financeiras, demonstrações experimentais de plantio. “Queremos oferecer o que há de melhor para dentro e para fora da porteira. Soluções tecnológicas para o homem do campo, palestras magnas e técnicas, oficinas, demonstração de produtos, leilões, novidades em maquinários, implementos agrícolas, veículos, tudo isso com foco em agricultura familiar, agricultura de precisão e pecuária. E, ainda, oportunidades de negócios com excelentes parceiros e instituições”, considerou Renata Borges.

De olho no desempenho positivo da agropecuária brasileira, que no último ano cresceu 13% e sustentou a alta no Produto Interno Bruto (PIB) do país (+1%), de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a NORTE AGROSHOW prospecta boas oportunidades de negócios, tanto durante a feira, quanto pós-evento, intermediadas pelos expositores de diferentes marcas. A intenção, explica a comissão organizadora, é transformar a região Norte em um centro itinerante de negócios para, pelo menos, as cerca de 30 cidades que compõem a região de Sinop.

Dono do maior rebanho bovino do país e campeão brasileiro na produção de grãos, o Estado de Mato Grosso tem a agropecuária como um dos pilares econômicos, ao lado da indústria e dos serviços. Apenas no 3º trimestre de 2017 o PIB agropecuário cresceu 49,8%, em comparação com o igual intervalo de 2016.

Informações

Expositores interessados em participar da feira podem solicitar informações sobre as áreas diretamente à Acrinorte, no telefone 66. 3520-4100.

PECUÁRIA EM DEBATE

PECUÁRIA EM DEBATE

Sinop (MT) recebe etapa do Acrimat em Ação no dia 07

Pecuaristas do médio-norte vão debater agregação de valor na cadeia da carne

O município de Sinop, a 503 km de Cuiabá, vai receber, no próximo dia 07, uma das rotas do projeto ‘Acrimat em Ação’, da Associação dos Criadores de Mato Grosso (ACRIMAT), voltado às discussões sobre o setor produtivo da carne. Na edição 2018, o evento debate a agregação de valor na cadeia da pecuária de corte, ou seja, como produzir produtos de qualidade para melhorar a renda.

Questões como “Na prática, o produtor produz carne ou boi?” pautam o segmento mato-grossense durante pouco mais de 30 dias, em 33 municípios do Estado, e em regiões cujos pecuaristas atuam tanto com a cria, a recria, quanto a engorda de animais. Para eles, a Acrimat leva a palestra “Do pasto ao prato: agregação de valor à pecuária de corte”, prevendo alcançar mais de quatro mil pessoas.

Com um rebanho bovino estimado em 49.455 mil animais, Sinop dá as boas vindas à Rota 02 do ‘Acrimat em Ação’ recebendo pecuaristas da região, às 19h, no Tatersal do Parque de Exposições da Acrinorte. Depois desta cidade, a comitiva do ‘Acrimat em Ação’ passará por Marcelândia (08/03), Tabaporã (09/03), Juara (10/03), Branorte (12/03) e Barra do Bugres (13/03).

O produtor Olivide Galina, presidente da Acrinorte, lembra que ações desta natureza contribuem para fortalecer a pecuária regional, pois estimula o debate e a aproximação da classe. “Primeiramente, temos a categoria unida”, lembra o dirigente ao convidar os pecuaristas da região para participar do evento, em Sinop.

De acordo com a programação da Acrimat, os produtores presentes assistirão à palestra conduzida pelo engenheiro agrônomo da Scot Consultoria, Marco Tulio Habib Silva. Ele tem o desafio de apresentar tecnologias e modelos produtivos capazes de agregar valor à produção, seja de genética, bezerro, garrote, novilha ou boi gordo.

“Queremos mostrar que todos, desde o produtor de bezerro até o confinador, precisam se atentar para isso. Como produzir mais e melhor para garantir mercado de qualidade”, expressa  o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares.

Mato Grosso detém o principal rebanho bovino do Brasil, próximo à casa dos 30 milhões de animais, conforme o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea).

Rotas

Na Rota 1, a equipe composta por cerca de dez pessoas passou por Poconé (19.02), Rio Branco (20.02), São José dos Quatro Marcos (21.02), Pontes e Lacerda (22.02), Vila Bela da Santíssima Trindade (23.02), Porto Esperidião (24.02), Cáceres (26.02) e Araputanga (27.02).

A Rota 2 começa do dia 06 de março, com palestra em São José do Rio Claro, depois os eventos acontecem em Sinop (07.03), Marcelândia (08.03), Tabaporã (09.03), Juara (10.03), Brasnorte (12.03) e Barra do Bugres (13.03).

Rota 3 passa por Guarantã do Norte (02.04), Colíder (03.04), Apiacás (04.04), Nova Bandeirantes (05.04), Nova Monte Verde (06.04) e Alta Floresta (07.04). A Rota 4 tem início em Barra do Garças (23.04), Ribeirão Cascalheira (24.04), Vila Rica (25.04), Canarana (26.04), Água Boa (27.04) e Cocalinho (28.04).

A última, Rota 5, percorre o noroeste do Estado passando por Castanheira (04.05), Juína (05.05), Cotriguaçu (07.05), Colniza (08.05) e Aripuanã (09.05). O projeto é encerrado em Rondonópolis no dia 04 de junho.

Ascom Acrinorte/ Ascom Acrimat

Leandro J. Nascimento 
Agro Agência Assessoria 

[email protected]

Rebanho bovino e a produção nacional

Rebanho bovino e a produção nacional

O Brasil é um dos países que mais tem rebanho de gado em toda a sua extensão. Anos anteriores foram abatidos cerca de 31,118 milhões de cabeças de gado, o equivalente a uma produção de 7,351 milhões de toneladas de carne.

Regiões antes pouco exploradas por esse tipo de economia vem se tornando grande produtoras de gado, como é o caso do norte do Brasil. Nos mais de cinco anos, a produção de leite e carne nestes locais tiveram um grande avanço na sua produção em comparação com outras regiões, como o Nortes e Sudeste.

Mas ainda se mantendo na liderança, o estado Mato Grosso consegue produzir cerca de 13,6% do gado total do Brasil, seguido de Minas, com 11,3% e Goiás, com 10,4%.

Maiores produtores de gado do Brasil

E com essa expansão da pecuária por diversos estados do Brasil algumas regiões vem ganhando destaque, dentre elas o município de São Félix do Xingu, no Pará, que liderou o ranking brasileiro no setor bovino.

No total foram produzidas cerca de 2,213 milhões de cabeças, 1% do total nacional, segundo dados da pesquisa Produção da Pecuária Municipal (PPM).

Na sequência, vem as cidades de Corumbá (1,761 milhão de cabeças) e Ribas do Rio Preto (1,099 milhão de cabeças), ambas localizadas em Mato Grosso do Sul.

Mesmo com a crise, a pecuária teve um avanço de 0,7%, sendo que a maior concentração ainda está Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Pará.

Já no segmento de pecuária de leite, o estado do Paraná continua sendo o maior produtor, fornecendo cerca de 239 milhões de litros, representando 0,7% do total nacional, seguida por Piracanjuba, em Goiás (154,8 milhões de litros) e Patos de Minas, em Minas Gerais (148,7 milhões de litros).

Ou seja, apesar da expansão do gado do Brasil os pecuaristas mais tradicionais presentes nos estados mencionados ainda são aqueles que fazem a diferença no setor

Conheça mais sobre o gado Nelore

Conheça mais sobre o gado Nelore

Você sabe de qual gado vem a carne que chega as nossas mesas? Apesar das diversas raças existentes, o gado Nelore foi aquele que mais se adaptou aos nosso clima, e é o mais usado na pecuária de corte.

Além disso, o Nelore é o campeão na pecuária nacional porque apresenta porte rustico e facilidade em ganhar peso com um curto período de tempo. Uma vaca Nelore adulta chega a pesar 600kg, enquanto um touro pode chegar facilmente aos 1200 kg.

Originário da Índia, os primeiros animais chegaram no Brasil no final do século XVIII e hoje representa cerca de 85% do gado existente no país.

Além disso, o gado Nelore é a base para a o cruzamento de outras raças de corte no Brasil, e está presentem em praticamente toda a América Latina.

Além disso, metade do rebanho bovino brasileiro se encontra na região Centro-Oeste do país, com destaque para o estado do Mato Grosso do Sul.

Características do Gado Nelore

Bem, como o gado Nelore é a raça mais forte em nosso país, saiba quais são as suas características principais:

– Pelagem nas tonalidades branca ou cinza-clara, apresentando algumas alterações na coloração ao redor dos olhos e joelhos. Já a cauda é pigmentada e todo o corpo tem pelo curto, fino e sedoso.

– Cabeça com largura e comprimento médios, chifres em forma cônica, curtos, escuros, grossos na base e estreitos na ponta. As orelhas são curtas e o nariz é preto, largo e com narinas dilatadas.

– Corpo comprido e musculoso, desde as costelas até as patas. Os membros anteriores possuem extremidades curtas, separadas, aprumadas e finas. Já os membros posteriores são fortes, aprumados e, principalmente nas coxas e nádegas, são musculosos.

No caso das fêmeas, as tetas são curtas, bem diferente do gado leiteiro.

Como a pecuária ajuda no crescimento da economia brasileira

Como a pecuária ajuda no crescimento da economia brasileira

O Brasil está todos os dias tentando sair a crise que afetou o país desde o início de 2015. Alguns setores tiveram que passar por reformulações. Já outros mantiveram a economia funcionando, fazendo com que o Brasil não sofresse mais, como é o caso da pecuária.

O segmento pecuarista atua como alavancador da economia e representa cerca de 6,5% do PIB (produto interno bruto) brasileiro, sendo o gerenciador de 18% das exportações do agronegócio brasileiro.

A pecuária já passou por momentos de queda, mas ainda continua sendo um setor que impulsionou a economia nacional, se tornando um dos segmentos que menos perderam com a crise.

Tipos de Pecuária e atuação na economia

Bem, sobre o setor da pecuária, para podermos entender porque ela tem forta influência na economia do Brasil, precisamos entender quais dois segmentos ela está inserida.

– Pecuária de corte

Esse é a pecuária focada no abate bovino, que gera carne, derivados e subprodutos.

Quem atua neste segmento precisa ter um gado robusto, e com carne em 45% do seu corpo.

Para a pecuária de corte, são usadas várias raças, mas no Brasil, devido ao clima, o Nelore foi a que mais se adaptou ao nosso país e por isso é o gado que se destaca por aqui.

Na pecuária de corte, o lucro dos últimos anos passou de R$ 4 bilhões de reais, sendo um grande influenciador da economia brasileira.

– Pecuária de leite

É o gado focado na produção de leite, da qual são destinados a indústria de laticínios.

Um dos maiores produtores de gado leiteiro é o estado de Minas Gerais, devido ao clima da região e a pastagem.

E assim como a pecuária de corte, a pecuária de leite tem grande importância para o aquecimento da economia, visto que com o leite é possível gerar diversos produtos, criando uma gama de opções que aquecem a economia.

Neste caso, os animais precisam ser bem tratados e alimentados, vivendo em locais com que propiciem a produção de leite de qualidade.

Os maiores produtores de leite do Brasil estão localizados na região sul, sendo o Paraná o grande destaque.

Nosso site: https://www.softpec.com.br